Vidro Falso – Estilhace agora#

Vidro falso é coringa para Sétima Arte, está presente em cenas de briga ou fuga alucinada, por exemplo.

Confira a receita abaixo, retirada do site Manual do Mundo (cheio de outras receitas e dicas que unem ciência com diversão, vale a pena dar uma olhada). Segurança e praticidade com impacto garantido.

Ingredientes:

  • 1/2 xícara de água
  • 1 xícara de açúcar
  • 4 colheres de sopa xarope de milho (glucose líquida, material de fazer balas)
  • Fôrma untada com óleo

Coloque a água, espere ferver e bote em seguida o açúcar, que irá se dissolver. Depois, coloque 4 colheres de glucose, deixando ferver de 6 a 8 minutos. Despeje a mistura na fôrma ou em outro material untado (pode ser do formato que quiser, use a imaginação!) e espere esfriar fora da geladeira. Por fim, deixe no congelador até ficar rígido. E depois, divirta-se com a destruição.

Perguntas frequentes:

Onde posso comprar xarope de milho?

Em confeitarias, pois é um ingrediente usado para fazer doces.

Posso trocar o xarope de milho pela glucose de milho?

Não. São dois ingredientes com consistência bem diferente. O xarope é muito mais viscoso que a glucose, além de ser transparente.

Esse vidro fica mole com o calor?

Sim. Ele tem consistência parecida com um doce duro (bala, pirulito etc.). Assim como esses doces, ele “mela”.

Interessante esse vídeo que ensina e mostra como (1minuto a 3min20)

FONTE: http://www.manualdomundo.com.br

Uma História de Amor e Fúria – Luiz Bolognesi

Nesta sexta-feira, tivemos a oportunidade de assistir a uma pré-estreia do novo longa de animação “Uma História de Amor e Fúria”, dirigido e escrito por Luiz Bolognesi, com vozes de Selton Mello, Camila Pitanga e Rodrigo Santoro. Após a sessão, um debate incrível com o diretor e outros quatro membros da equipe.

O filme conta, em quatro episódios, uma história do Brasil esquecida por muitos. Com uma grande sensibilidade, vamos de uma tribo tupinambá tentando sobreviver à colonização europeia até 2096, em uma projeção muito realista do que será o Rio de Janeiro no final do século 21. Em todos os episódios, o protagonista luta contra o poder opressor, sempre com sua amada Janaína ao seu lado. Chega de vermos histórias sobre os ganhadores, já era hora de ouvirmos o outro lado. E toda a equipe que produziu “Uma História de Amor e Fúria” fez isso com maestria.

Terminando o debate, pedimos para Luiz Bolognesi falar um pouco dos efeitos especiais presentes no filme. Abaixo, nossa entrevista exclusiva.

Quem se empolgar e quiser assistir, haverá uma última sessão da Mostra Internacional de Cinema no dia 30/10, na Livraria Cultura, às 16h10.

Para saber mais sobre o filme, a página no site da Gullane e a fanpage oficial.