Resultado do sorteio

resultadoGabriela Lopes! Obrigada por visitar o blog e curtir nossa página no Facebook, enviaremos seu box do Matrix o mais breve possível. (:

gabriela

Gostaria de agradecer em nome da equipe Cine FX a todos que participaram da promoção. Essa semana foi de longe a mais importante na curta história do nosso blog. Atingimos a marca de mais de 1000 likes na nossa página do Facebook e estamos chegando aos 14.000 views aqui no blog. Ficamos muito felizes de poder compartilhar com cada vez mais pessoas assuntos que gostamos tanto.

Obrigada pelo apoio e esperamos fazer um blog cada vez melhor para vocês!

Sorteio Box da trilogia Matrix

sorteio

Para comemorarmos o final do ano, os 600 likes na nossa página do facebook e mais de 13 mil views no blog, resolvemos fazer um sorteio para vocês.

As regras são simples:

1) Curtir nossa página do facebook.

2) Comentar neste post a frase “O Cine FX vai me dar um presente de natal.”. Não esquecer de colocar e-mail ou logar através do facebook ou wordpress para termos alguma forma de contato.

Todos os comentários que não estiverem dentro das regras serão deletados.

Só serão aceitos participantes que morarem no Brasil ou que tenham um endereço no Brasil para entrega. Caso o sorteado não se encaixe nesta regra, iremos refazer o sorteio.

O sorteio será realizado dia 05/12, quarta-feira, às 18 horas.

Evolução dos efeitos especiais ao longo do tempo

Uma das fontes da fantasia nessa área é a Fantasmagoria (influenciada pelo Teatro de Sombras). Nesse espetáculo antigo era usada uma Lanterna Mágica, projetor do século XVII (bem antigo!), que mostrava uma sequência de posições de imagens assustadoras, como as de fantasmas, que pareciam se movimentar para plateias, fascinando o pessoal.

A Fantasmagoria foi sucedida pelos artifícios mecânicos, com destaque para o grande mágico e cineasta Meliés (o filme Hugo Cabret, do começo desse ano, retrata-o), que unem maquinaria e imagens sobrepostas até os efeitos visuais encontrados em Avatar.

2001, Uma Odisseia no Espaço, Stanley Kubrick (1968)

Desde a década de 60 do século XX, a videografia e a computação gráfica são grandes impulsionadoras dessa área, culminando com o videogame e animação 3D, outros dois grandes colaboradores que tornam muitas vezes naturais esses efeitos (não perceptíveis).

Xanadu, Robert Greenwald (1980)

Essa evolução dos efeitos surpreendia plateias, como nos anos 80, em que efeitos gráficos semelhantes aos do desenho da Sheera e da Caverna do Dragão (hoje parecem bem trash) são encontrados em Xanadu, filme musical.

Os efeitos especiais, portanto, estão cada vez mais onipresentes em várias produções, de formas cada vez mais incríveis.

O que são efeitos especiais?

Frequentemente associados à alta tecnologia, os efeitos especiais (ou FX, como se abrevia em inglês) existem desde os primórdios do cinema. São, por definição, técnicas utilizadas para criar cenas difíceis ou até impossíveis de serem filmadas diretamente. Através delas foi e é possível produzir praticamente qualquer coisa nas telas, desde objetos e cenários fantásticos até golpes sobre-humanos.

Image

Os efeitos especiais são divididos em duas categorias: efeitos visuais, obtidos graças à manipulação da imagem na pós-produção e, mais recentemente, na computação gráfica; e efeitos mecânicos, realizados durante as filmagens, como maquiagem e pirotecnia. Uma terceira categoria pode ser também considerada, apesar de diferir bastante das outras duas: os efeitos sonoros. Estes, mesmo não sendo visuais, são essenciais ao resultado final e muitas vezes não podem ser captados no momento da filmagem (som direto), sendo criados depois digitalmente. Vale lembrar que, em muitas situações, a cena desejada é construída por uma combinação das três categorias, uma complementando a outra.

Image

Acreditamos que os efeitos especiais são parte fundamental da magia do cinema. Muitos acham que saber o que acontece nos bastidores estraga a graça do filme, nós gostamos de pensar que saber os truques é ter certeza de que tudo é possível. E que nós, não importa o dinheiro (ou a falta dele), podemos criar universos.