Esquizofrenia computadorizada

Quem já viu Cisne Negro (Darren Aronofsky, 2010) sabe que é um filme novo difícil de ser esquecido. É um exemplo da combinação de vários elementos que funcionaram muito bem juntos, desde o roteiro – que levou dez anos de tratamentos até o resultado final – até a edição, essencial para dar o tom de tensão presente todo tempo no thriller psicológico.

E haja edição. Muita coisa foi feita na pós-produção, ou seja, no computador, tanto os efeitos especiais, como nas partes em que Nina (Natalie Portman) se ‘transforma’ em um cisne negro, quanto inúmeros pequenos ajustes nas cenas com as dublês de dança Sarah Lane e Kimberly Prosa. No caso das cenas de dança, a maioria dos takes de corpo inteiro de Nina dançando foram feitos pelas dublês, sendo necessário substituir digitalmente o rosto delas pelo de Natalie Portman.

O vídeo abaixo mostra várias correções e efeitos do filme:

Anúncios

2 comentários sobre “Esquizofrenia computadorizada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s