Evolução dos efeitos especiais ao longo do tempo

Uma das fontes da fantasia nessa área é a Fantasmagoria (influenciada pelo Teatro de Sombras). Nesse espetáculo antigo era usada uma Lanterna Mágica, projetor do século XVII (bem antigo!), que mostrava uma sequência de posições de imagens assustadoras, como as de fantasmas, que pareciam se movimentar para plateias, fascinando o pessoal.

A Fantasmagoria foi sucedida pelos artifícios mecânicos, com destaque para o grande mágico e cineasta Meliés (o filme Hugo Cabret, do começo desse ano, retrata-o), que unem maquinaria e imagens sobrepostas até os efeitos visuais encontrados em Avatar.

2001, Uma Odisseia no Espaço, Stanley Kubrick (1968)

Desde a década de 60 do século XX, a videografia e a computação gráfica são grandes impulsionadoras dessa área, culminando com o videogame e animação 3D, outros dois grandes colaboradores que tornam muitas vezes naturais esses efeitos (não perceptíveis).

Xanadu, Robert Greenwald (1980)

Essa evolução dos efeitos surpreendia plateias, como nos anos 80, em que efeitos gráficos semelhantes aos do desenho da Sheera e da Caverna do Dragão (hoje parecem bem trash) são encontrados em Xanadu, filme musical.

Os efeitos especiais, portanto, estão cada vez mais onipresentes em várias produções, de formas cada vez mais incríveis.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s